Análise: desempenho do Palmeiras em amistoso ofusca mau resultado


O propósito de Eduardo Baptista no amistoso contra a Ponte Preta, no último domingo, era colocar em prática tudo o que passou ao elenco do Palmeiras em aspectos táticos e técnicos nas últimas semanas. O empate por 1 a 1, com gol sofrido aos 44 minutos do segundo tempo, obviamente não foi o resultado ideal – mas o desempenho, no que diz respeito à variedade e ao volume de jogo, contam mais a uma semana da estreia no Campeonato Paulista.

Especialmente na etapa inicial, o Palmeiras foi um time sólido. Não apostou em um único tipo de jogada. Pelo contrário. Chegou pelos lados, com Zé Roberto e Róger Guedes. Na bola parada – inclusive com uma cobrança rápida de lateral de Dudu, que quase virou assistência para Willian. Pelo alto. Nos chutes longos de Felipe Melo. A defesa da Ponte Preta quebrou a cabeça.

De fato, como admitiram os jogadores e o próprio Eduardo Baptista, faltou poder de conclusão ao time, que priorizou a aproximação ao atuar sob o esquema 4-1-4-1. A sequência de duas bolas na trave, uma de Tchê Tchê, outra de Raphael Veiga, no primeiro tempo, simboliza, ao mesmo tempo, a criatividade da equipe e a falta de efetividade na cara do gol.

À vontade, Felipe Melo regia o deslocamento em bloco ao ataque. Após 58 minutos em campo, deixou o campo sob aplausos. A precisão nos passes longos e a boa execução ao distribuir a bola, além da natural proteção à defesa, agradaram a torcida.


Leia mais no GE

---------------


Análise: desempenho do Palmeiras em amistoso ofusca mau resultado Análise: desempenho do Palmeiras em amistoso ofusca mau resultado Reviewed by Anderson Nascimento on 21:30:00 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.